Imagem capa - Dia Internacional das Mulheres por Marcos Ramos
Blog

Dia Internacional das Mulheres

 Para muitos, o 8 de Março é apenas um dia para dar flores e fazer homenagens às mulheres. Mas diferentemente de diversas outras datas comemorativas, esta não foi criada pelo comércio.





 Oficializado pela Organização das Nações Unidas em 1975, o chamado era celebrado muito tempo antes, desde o início do século 20. E se hoje a data é lembrada como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista.

 Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos - as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época.

 Felizmente, algumas coisas já mudaram nesse sentido na maior parte do mundo, por mais que muitas mulheres ainda sejam reprimidas e violentadas apenas por causa de seu gênero. A seguir, conheça uma lista de grandes mulheres que deixaram importantes contribuições sociais, culturais e científicas à humanidade.


1 – Marie Curie


É impossível estudar química e física sem falar de Marie Curie, a polonesa que ficou famosa graças às suas pesquisas sobre radioatividade. Vale lembrar também que essa mulher conseguiu a proeza de ganhar o cobiçado Prêmio Nobel – duas vezes.


2 – Malala Yousafzai


Você provavelmente já ouviu falar da Malala, a garota paquistanesa que é também a pessoa mais jovem a ser contemplada com um Prêmio Nobel. Por sua luta pelos direitos das mulheres à educação e pelo símbolo de força e resistência que se tornou, devido à sua experiência pessoal (ela levou um tiro na cabeça quando tinha apenas 14 anos).


4 – Margaret Heafield


Tá vendo essa moça da foto? Pois é. Ela trabalhou como diretora de engenharia de software para a NASA. Basicamente, foi uma das responsáveis pelo Projeto Apollo, um dos mais importantes da agência espacial.


5 - Irena Sendler



Você talvez ainda não tenha ouvido falar dela e realmente sua história era bem desconhecida antes de 1999, quando um grupo de alunos norte-americanos resolveu pesquisar sobre a vida dela para um trabalho de conclusão de curso. A mulher em causa, Irena Sendler, foi responsável por salvar a vida de mais de 2.500 crianças durante a Segunda Guerra Mundial. E foi por isso que ficou conhecida como “A mãe das crianças do Holocausto” ou “O Anjo do Gueto de Varsóvia”.

Essa incrível mulher foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz em 2007 e foi lançado um filme que conta sua história em 2009, estrelado por Anna Paquin, que foi indicada ao globo de ouro de 2010.

Irena Sendler morreu aos 98 anos, em sua plenitude, em 12 de maio de 2008, e seu trabalho continua através de uma organização chamada (“A vida numa jarra”).

“A razão pela qual resgatei as crianças tem origem no meu lar, na minha infância. Fui educada na crença de que uma pessoa necessitada deve ser ajudada com o coração, sem importar a sua religião ou nacionalidade”